Projeto do vereador Rodrigo Coutinho para transformar Setúbal em bairro ganha destaque na Folha de Pernambuco

233444,475,80,0,0,475,365,0,0,0,0

Da Folha de Pernambuco

 

A demanda por melhorias nas comunidades tem gerado um movimento de iniciativas populares que, de tão contundentes, acabam atraindo a atenção do poder público. Em Camaragibe, o Fórum Socioambiental de Aldeia empreendeu um projeto para transformar 15 km da PE-27 (Estrada de Aldeia) em uma via parque. Nesta semana, a Prefeitura de Camaragibe assumiu o projeto – com o apoio de empresários locais – e está prestes a assinar um convênio com o Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco para viabilizá-lo.

Em Boa Viagem (Zona Sul do Recife), o Coletivo Setúbal defende o desmembramento da localidade que dá nome ao grupo como um bairro independente. A própria comunidade realiza periodicamente ações em benefício próprio, como a implantação de faixa de pedestres e de festivais culturais, com o intuito de se diferenciar da vizinhança. A iniciativa também atraiu a atenção institucional, especificamente do vereador Rodrigo Coutinho (SD), que apresentou um projeto de lei visando a criação do bairro de Setúbal.

A proposta de transformar a Estrada de Aldeida em uma via parque inclui a implantação de ciclovia, sinalizações para pedestres, paisagismo, pista de cooper e pavimentação de estradas vicinais. “O projeto foi desenvolvido pela própria comunidade e colocado no papel pelo arquiteto César Barros, que o doou”, conta Herbert Tejo, presidente do Fórum. Junto com o empresário Bruno Dantas, César, inclusive, executou um projeto-piloto da via parque em um trecho de 40 metros defronte ao home center que eles estão construindo, no km 11 da PE-27. Diante da iniciativa, a Prefeitura de Camaragibe se associou ao Fórum para viabilizar o projeto. “Agora a gente está acreditando que vai acontecer”, comemora Tejo.

Emancipação
Muitos dos que moram próximos à rua Setúbal até quase a avenida Mascarenhas de Moraes, na Imbiribeira, chamam o bairro onde vivem de Setúbal – que não existe oficialmente -, e não Boa Viagem. Juntos com os quase sete mil membros do grupo Coletivo Setúbal, planejam escrever uma nova história para a comunidade.

“Em Boa Viagem, há um nível de vida caótico que Setúbal não tem”, diferencia Daniel Uchoa, professor de sociologia, morador e comerciante local e um dos articuladores do coletivo. “Aqui tem toda uma engenharia que faz com que seja mais prazeroso, por exemplo, caminhar na rua. Tem uma interação das pessoas, que criam um laço afetivo com esse espaço.”

A comunidade ganhou a adesão do vereador Rodrigo Coutinho, e o projeto do parlamentar deve seguir em breve para discussão no plenário da Câmara. “De forma imediata, buscamos garantir o reconhecimento cultural de um bairro que já se identifica de forma individualizada”, explica Coutinho. “Mas, a médio e longo prazos, poderemos identificar com mais facilidade as necessidades do novo bairro, e os investimentos do Executivo poderão ser destinados para os pontos realmente prioritários da região.”