Paulinho da Força é alvo de pressão por defender impeachment

6544_0_gr

No momento em que o Solidariedade anuncia um movimento pró-impeachment, manifestando o seu apoio à saída da presidente Dilma, o presidente nacional do partido, Paulinho da Força, passa a ser alvo de acusação do Ministério Público Federal em uma ação penal no STF. O Ministério acusa o deputado de “crime contra o sistema financeiro, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha”, em um suposto esquema de desvio de verbas do BNDES. Em 2008, O Conselho de Ética da Câmara Federal já havia absolvido o parlamentar por 10 votos a 4, pois não foram encontrados elementos que justificassem uma cassação.

O corpo jurídico do nosso partido já se posicionou e há provas de que Paulinho não tem envolvimento no esquema. Foi vítima do tráfico de influência dos membros dessa suposta quadrilha, que estariam usando o nome do deputado para justificar o valor dos serviços de consultoria cobrados por uma empresa. Criaram uma ficção de que algumas pessoas, entre elas Paulo Pereira da Silva, receberiam um valor que incorporava. Nossa defesa também contesta a acusação de crime contra o sistema financeiro, que, no caso, consiste em “aplicar, em finalidade diversa da prevista em lei ou contrato, recursos provenientes de financiamento concedido por instituição financeira oficial”.

Paulinho da Força é o deputado que mais luta em defesa dos trabalhadores e com grande destaque na oposição. É atualmente alvo de uma quadrilha que utilizou o seu nome para desgastar a sua imagem nesse momento em que o Brasil precisa ser passado a limpo em meio à corrupção do PT e dos desmandos do governo Dilma.